• Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone YouTube
  • Preto Ícone Spotify
  • Preto Ícone LinkedIn
  • Preto Ícone Facebook

Sou movida pelos sentidos. Em minhas performances, transito entre imagens e sons intimistas, e levo meus convidados junto a perceber o silêncio da beleza, o movimento da estática, a dança das manobras, e toda a poesia contida na arte.  

 

A ideia é dar vida às minhas criações - cartas, histórias de navegações, fotografias, cinema, dança e missões vividas em alto mar - com manifestações presenciais. Minha trajetória pessoal e profissional se fundem em expressões de luz e sombra. Os sentimentos que suscitam dessa interação revelam que somos seres potentes, capazes de contar, de formas diversas, nossa própria história e visão de mundo. Que somos capazes de transformar nosso entorno na busca pelo bem comum.

 

Meu trabalho consiste em lutar pela vida. Busco expressar em qualquer dimensão e tempo o alcance ao coração do outro, dizendo que é possível mudar quem nós somos.

Enquanto a beleza se choca com a realidade e a natureza sofre com a destruição, faço um convite ao mundo para buscar através da arte a cura do Oceano e do Planeta.

Atividades disponíveis para replicação e interação com o público:

 

Na performance "Sea Woman”, são exibidas projeções, com  fragmentos e palavras extraídas de cartas que trazem ideias e sensações no corpo. 

 

Nessa proposta, trago expressões e sons de baleias que penetram na alma e evidencio o feminino-oceano que habita em cada um de nós. Essa é, claramente, uma chamada urgente em defesa dos oceanos. 

Turnês itinerantes de ‘Sea Woman’ aportaram em São Paulo, Tókio, Amsterdam e Bruxelas.

 

Já na performance "Sete Anos em Sete Mares”, apresento relatos e expressões corporais que retratam profunda vivência nos anos vividos em alto mar em defesa do meio ambiente, com direito à abordagem de piratas na costa da Somália. 

Além disso, combino cartas, piano e movimento, que nos remetem à uma mensagem na garrafa, a um caminho sem volta, à entrega completa para uma missão que parece ter apenas começado. 

Em uma dessas performances, intitulada "O que eu Preciso”, carreguei, literalmente, um armário cheio de histórias, cartas, fotografias, roupas e objetos pessoais, e transitei por São Paulo, entre a Estação da Luz e a Cracolândia. Nessa ocasião, ofereci escuta e conexão, majoritariamente com mulheres, travestis e pessoas em situação de alta vulnerabilidade.  Essa iniciativa aconteceu em um ato único no centro da capital paulista, em Dezembro de 2019. 

 

Turnês itinerantes já passaram por São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Lisboa.

Solicite mais informações entrando em contato direto comigo!

Fotos: @_henrikhoff e Pedro Matallo